Lindsay.com Menu

Pontes

Minimização de congestionamentos:

À medida que o tráfego diário em uma ponte aumenta com o passar do tempo, as autoridades devem encontrar uma maneira de aumentar a capacidade dela de acordo com o fluxo do tráfego.  Uma nova construção seria extremamente cara e muitas vezes nem é sequer uma opção.  Um método dinâmico e de ótimo custo-benefício para o aumento da capacidade da ponte é criar uma instalação com pistas gerenciadas, onde a configuração das pistas da ponte contenha faixas flexíveis e adicionais disponibilizadas para a direção do tráfego de pico.  Isto pode ser feito com cones e luzes suspensas, entretanto, os acidentes em cruzamentos fatalmente ocorrerão, causando lesões graves e óbitos.

A barreira móvel cria pistas gerenciadas para pontes, proporcionando proteção de barreira positiva.  A parede de barreira é levantada a partir da superfície da estrada e movida lateralmente uma ou mais faixas em velocidades de até 16 km/h, de modo a atender a demanda de pico de tráfego, eliminando os acidentes em cruzamentos.

 

Acelerando a construção e aumentando a segurança:

Os projetos de construção de pontes enfrentam múltiplos desafios.  O espaço limitado para veículos, equipamentos e trabalhadores resulta em um aumento no número de etapas da construção, prolongando o trabalho e aumentando seu custo.  A segurança também é comprometida quando todo o trabalho precisa ser realizado em uma área limitada e ineficiente e as zonas de obra em pontes criadas com um espaço de trabalho flexível com a utilização de cones e barris são inerentemente perigosas para os trabalhadores e motoristas.

A barreira móvel cria uma zona de trabalho flexível e segura para pontes, permitindo aos empreiteiros expandi-la durante as horas de baixo tráfego e reduzi-la ou mesmo fechá-la durante o horário de pico de tráfego para maximizar o fluxo de veículos.  Equipamentos de construção maiores e mais eficientes podem ser utilizados na zona de trabalho expandida, combinando ou eliminando etapas e permitindo que muitos projetos de reforma sejam concluídos em apenas uma temporada de obras, em vez de duas.